sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Deinfra fechará SC-405 sábado à tarde para detonação de rochas


O Departamento Estadual de Infraestrutura (Deinfra) fará a segunda de até três detonações de rochas na SC-405 nesse sábado. A rodovia ficará bloqueada por uma hora, das 16h às 17h. Cerca de 150 quilos de dinamite serão empregados na remoção de 250 metros cúbicos de material no KM 1, no morro distante 600 metros do Supermercado Imperatriz (sentido Centro-praias).

A primeira detonação foi realizada no mesmo local, dia 17, com 250 quilos do explosivo para a retirada de 400 metros cúbicos de pedras. Na construção da terceira pista, que deverá estar concluída no início da segunda quinzena de dezembro, o Governo do Estado investirá mais de R$ 3,3 milhões, além de outros R$ 4 milhões gastos na desapropriação de áreas em 93 imóveis.

A SC-405 é a segunda rodovia estadual com maior movimento: cerca de 38 mil veículos/dia. A primeira é a SC-401, com mais de 42 mil veículos/dia. Ambas são na Ilha de Santa Catarina.

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Subaru convoca para recall de 302 unidades dos modelos Legacy e Outback

A importadora dos modelos Subaru, a Caoa, convoca 302 unidades dos modelos Legacy e Outback, produzidos entre 2010 e 2011. Conforme comunicado, os proprietários dos veículos deverão procurar uma concessionária para verificação no relé do motor do limpador de para-brisa. Ainda de acordo com a Caoa, o componente pode parar fora da posição de repouso quando desligado, o que ocasionaria a continuidade da alimentação de energia.

O defeito pode resultar em aquecimento dos contatos elétricos, com risco de derretimento da caixa que contém o relé. Se isso ocorrer haverá mau funcionamento do limpador do para-brisa e comprometimento da visibilidade do motorista

Confira abaixo a numeração de chassi envolvida na convocação

Legacy

JF1BM5LC2AG011386 a 015841

JJF1BM5LC2BG020056 a 024562

JF1BM9LV3AG011214 a 015865

JF1BM9LV3BG020112 a 024028

Outback

JF1BRFLU6AG013818 a 033980

JF1BRFLU6BG042630 a 070720


Saiba como dirigir em dias de chuva

Fenômenos climáticos podem interferir na segurança do trânsito, alterando as condições da via, diminuindo a capacidade visual do condutor, e modificando padrões de condução e comportamento dos veículos, como aderência dos pneus e estabilidade. As condições de mau tempo podem se agravar a ponto de impedir o deslocamento seguro.


A chuva reduz a visibilidade, diminui a aderência dos pneus ao solo (principalmente em curvas), aumenta consideravelmente o espaço percorrido em frenagens e dificulta manobras de emergência.

O início da chuva torna a pista ainda mais escorregadia, devido à mistura de água com pó e outros resíduos.
Quando for inevitável dirigir sob chuva, os condutores em geral devem observar os seguintes pontos: redobrar a atenção, reduzir a velocidade, aumentar a distância dos demais veículos, redobrar o cuidado em curvas e frenagens, manter acesa a luz baixa, evitar passar sobre poças ou lugares com acúmulo de água.

Além disso para condutores de automóveis e demais veículos de quatro rodas: manter as palhetas do limpador de para-brisas em bom estado, manter os vidros limpos, desengordurados e desembaçados.

Para motociclistas e condutores de veículos de duas ou três rodas: manter a viseira ou óculos de proteção limpos e desengordurados, usar roupa apropriada, como capa ou macacão impermeável.
Durante ou após as chuvas, a água acumulada sobre a pista pode provocar situações especiais de perigo: trata-se de AQUAPLANAGEM ou HIDROPLANAGEM, fenômeno no qual os pneus não conseguem remover a lâmina de água e, literalmente perdem contato com a pista.

A aquaplanagem ocorre pela combinação dos seguintes fatores: excesso de água na pista, velocidade incompatível e pneus com profundidade de sulco insuficiente (carecas).
Durante a aquaplanagem, a direção fica repentinamente leve e o condutor perde o controle do veículo. No caso de motocicleta, torna-se muito difícil controlá-la e a queda é praticamente inevitável.

Condutores de automóveis e motocicletas devem adotar os seguintes procedimentos em caso de aquaplanagem: segurar firmemente o volante ou guidão, sem virá-lo. Rodas dianteiras viradas para um dos lados podem levar ao capotamento quando a aderência voltar a existir entre os pneus e a pista. Desacelerar o veículo e diminuir a velocidade, mas não frear bruscamente, pois se as rodas estiverem travadas no momento que voltar o contato dos pneus com a pista, o veículo se desgovernará. Estabelecer um padrão seguro de velocidade para a situação.

É dever do proprietário do veículo trocar os pneus sempre que a profundidade dos sulcos atingir 1,6 mm. Adiar a hora da troca é uma economia que não vale a pena.
Você pode fazer um trânsito melhor. Use estas dicas e torne a sua vida e a dos demais usuários do trânsito mais segura.
Portal do Trânsito

Habilitação de instrutor de trânsito pode ter regras mais flexíveis

A Câmara analisa o Projeto de Lei 638/11, do deputado Décio Lima (PT-SC), que flexibiliza as regras para habilitação de instrutores de trânsito. O texto retira a exigência prevista na legislação atual (Lei 12.302/10) de o profissional ter, há pelo menos um ano, carteira de habilitação na categoria D – exigida para condutor de veículos com lotação superior a oito lugares.

Para o deputado, a exigência “desestimula os profissionais que já estão preparados para o mercado de trabalho, obtiveram o licenciamento na categoria D, mas precisarão aguardar por um ano para exercer a atividade”. Além disso, Lima considera que o profissional deva estar habilitado apenas na categoria em que vai realizar os cursos de formação.

Direção defensiva e primeiros socorros
O projeto também altera a maneira em que são cobrados, do instrutor, conhecimento em direção defensiva e primeiros socorros. A lei atual exige cursos específicos para essas modalidades. Já a proposta de Décio Lima permite que o profissional seja certificado bastando ter cursado as disciplinas de direção defensiva e primeiros socorros dentro do curso realizado pelo órgão executivo de trânsito.
“O curso específico realizado pelo órgão executivo de trânsito deve obrigatoriamente ministrar a disciplina de direção defensiva e primeiros socorros, não devendo, portanto, ser objeto de um curso autônomo conforme está disposto hoje”, conclui o deputado.

Tramitação
A proposta tramita em caráter conclusivo e será analisada pelas comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público; e Constituição e Justiça e de Cidadania.
Agência Câmara de Notícias

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

INSS quer que motorista infrator pague indenização a vítima de acidente de trânsito

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) deve ajuizar nos próximos dias as primeiras ações para o pagamento de indenizações a vítimas de acidentes de trânsito pelos motoristas infratores. A ideia é que eles tenham que arcar com os custos de auxílio-doença ou pensão por morte, por exemplo, informou hoje (28) o presidente da autarquia, Mauro Hauschild.

De acordo com ele, a Advocacia-Geral da União (AGU) estuda a forma como será feita a cobrança. Segundo Hauschild, atualmente, o INSS gasta R$ 8 bilhões por ano com as despesas decorrentes de acidentes de trânsito. “Não é justo para a sociedade que o INSS, que arca com pesado déficit de suas contas para dar garantias aos segurados, tenha que custear essas despesas, causadas pela má conduta de motoristas que dirigem embriagados, em alta velocidade, provocando graves acidentes com vítimas, ou que trafegam na contramão.”

O presidente do INSS espera que o trabalho envolva a parceria do Ministério Público, da Polícia Rodoviária Federal, dos departamentos de Trânsito estaduais (Detrans), entre outros, para que os processos sejam bem embasados.

“Não se trata de sair procurando quaisquer acidentes culposos [para responsabilizar motoristas]. Não vamos nos aventurar a expor as pessoas a situações desnecessárias”, ressaltou ele, em entrevista ao programa Brasil em Pauta, produzido pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República em parceria com a EBC Serviços.
O presidente do INSS observou que “essa transferência de responsabilização” já vem ocorrendo em situações envolvendo empresas que, por inobservância da lei, expõem empregados a riscos, acarretando mortes e lesões. Segundo ele, o instituto vem ganhando causas desse tipo, o que também deverá ocorrer no caso de motoristas que provocam acidentes de trânsito com vítimas.

Hauschild destacou que a medida terá caráter educativo, assim como a Lei Seca, que estabeleceu sanções como o pagamento de multa, a suspensão da carteira de habilitação e a prisão, para o motorista que é flagrado dirigindo embriagado. “As causas provocadas por irresponsabilidade, com certeza, têm que ser custeadas por quem assumir o risco de provocar mortes ou lesões”, defendeu.
Correio do Estado

Mulher é condenada a 10 chibatadas após dirigir carro na Arábia Saudita

Mulher flagrada dirigindo recorreu da decisão. Segundo a anistia internacional, duas outras acusadas aguardam sentença.

Dois dias depois de prometer que mulheres poderão votar em eleições locais, a Arábia Saudita condenou a dez chicotadas uma mulher flagrada dirigindo um carro.

Desafiar a proibição de dirigir é um dos poucos protestos públicos na Arábia Saudita, país que observa uma das mais puritanas e radicais interpretações dos códigos de comportamento do islã, o wahabismo.

Shema, como foi identificada a motorista, foi flagrada dirigindo pelas ruas de Jedá, segunda maior cidade do país, em julho deste ano. Ela recorreu da decisão. A anistia internacional afirma que duas outras acusadas aguardam sentença.
G1

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Despreparo e desrespeito do motorista são as maiores causas de acidente de trânsito no Brasil


O despreparo e o desrespeito alheio do motorista foram apontados por 71,2% da população brasileira como a principal causa de acidentes de trânsito no Brasil, segundo pesquisa realizada com 1.023 condutores em todo o país pela a Anatran (Associação Nacional de Trânsito). Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (26).
O despreparo e o desrespeito alheio do motorista foram apontados por 71,2% da população brasileira como a principal causa de acidentes de trânsito no Brasil, segundo pesquisa realizada com 1.023 condutores em todo o país pela a Anatran (Associação Nacional de Trânsito). Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (26).
Segundo a pesquisa, os indícios deste resultado estariam presentes em diferentes aspectos da realidade como, a percepção de incapacidade dos demais motoristas; o excesso de confiança do próprio condutor; a ausência de conhecimento a respeito da Legislação de Trânsito e o baixo nível de conhecimento dos direitos e deveres do cidadão.
Apesar deste número, 95,2% dos entrevistados disseram ser bem preparados conduzir veículos automotores.
Regras de trânsito
A falha humana é apontada como a maior causa de acidentes por 92,8% dos entrevistados. E 88,9% consideram que o conhecimento das leis de trânsito ajudaria a reduzir os acidentes.
De acordo com os dados, quando os entrevistados foram questionados se o motorista brasileiro conhece e respeita a Legislação de Trânsito, apenas 41,0% discordaram e 42,5% declaram não concordar nem discordar.
A pesquisa foi realizada entre 7 de agosto a 4 de setembro, de 2011.
Fonte: R7

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Motoristas devem ficar atentos ao transferirem seus veículos de município, não se esquecendo de trocar a tarjeta

Os proprietários de veículos devem ficar atentos ao endereço no qual o carro está registrado, devendo coincidir com o município impresso na tarjeta da placa (s) de identificação do veículo.

Exemplo: o cidadão compra um veículo emplacado originalmente em São Paulo e transfere para seu endereço em Tubarão; pagando seguro e IPVA. No entanto, esquece-se de trocar a tarjeta. Essa é uma das infrações mais comuns no munícipio de Tubarão

Ou seja, o endereço no documento é em Tubarão, mas a tarjeta indica cidade de São Paulo. O Guarda Municipal ao consultar o sistema DETRANNET observa a infração.

 A irregularidade está prevista no Artigo 221 do Código de Trânsito Brasileiro.  Se a situação for essa, o motorista, além receber multa - R$ 85,12 - pode ter o veículo apreendido.

 Para regularizar, basta ir a qualquer casa de placas, credenciada junto ao DETRAN- SC e adquirir uma nova tarjeta (com o lacre), referente ao município onde o bem foi registrado.
Maciel Brognoli

.

É possível diminuir os congestionamentos sem reduzir a venda de carros?

Como parte das atividades do movimento do Dia Mundial sem Carro, o Ipea lançou um estudo analisando as políticas voltadas para o setor.
Segundo o estudo, o Brasil viveu, nos últimos quinze anos, um crescimento muito forte no transporte individual motorizado, principalmente carros e motos, e uma redução do uso de transporte público, encarecendo os serviços e piorando a qualidade de ônibus, trens e metrô. “Do ponto de vista da eficiência energética e ambiental, essa é uma tendência bastante preocupante. Enquanto a frota de automóveis cresceu 7% ao ano e a de motocicletas, 15%, o transporte público perdeu, em geral, cerca de 30% da sua demanda no período”, diz o relatório.
Os pesquisadores, no entanto, acreditam que o Brasil pode reduzir os problemas gerados pelo excesso de carros e tráfego sem prejudicar economicamente o setor automobilístico ou colocar empregos em risco. Isso porque ainda há um bom espaço para que a indústria cresça, já que a taxa de veículos por habitante brasileira é pequena – em média, há 15 veículos para cada 100 habitantes no Brasil, uma taxa muito menor do que os países desenvolvidos, que chega a 50, ou dos Estados Unidos, com 80 veículos por 100 habitantes. Os pesquisadores acreditam que as pessoas podem continuar comprando carros, e o que precisa mudar é a forma de uso desses veículos – no dia a dia, menos carros e mais transporte público.
O texto do Ipea cita o caso das cidades europeias e japonesas. “Na Europa e no Japão, por exemplo, a taxa de motorização da população é alta, mas o uso dos veículos individuais é relativamente baixo. As pessoas têm automóveis, mas utilizam, no dia a dia, o transporte público ou transporte não motorizado. Os automóveis atendem viagens eventuais e familiares, o que constitui um padrão de uso mais sustentável do que o americano, por exemplo, em que o automóvel assume papel predominante na matriz modal dos deslocamentos.”
Para que isso ocorra, é preciso investir na melhoria do transporte público, tornando trens, ônibus e metrô mais atraentes para a utilização no dia a dia, em deslocamentos entre casa e trabalho, por exemplo.
Poluentes locais e globais
O estudo identificou que a emissão de poluentes globais – como o gás carbônico, um dos principais causadores das mudanças climáticas – está aumentando, graças a elevação da frota de veículos no Brasil. Por outro lado, os poluentes locais, que afetam o entorno das cidades, como o monóxido de carbono, óxidos de nitrogênio e hidrocarbonetos, vêm diminuindo, graças a renovação da frota e a políticas como o Programa de Redução de Emissões de Veículos Automotores (Proconve).
Segundo os pesquisadores do Ipea, isso é um reflexo da adoção, pelo poder público, de políticas muitas vezes contraditórias: ao mesmo em que foram tomadas boas iniciativas para reduzir a poluição e melhorar a eficiência dos veículos, uma série de políticas estimularam o transporte individual. Para de fato diminuir a poluição causada pelos transportes, os pesquisadores apresentam dois “caminhos”: o primeiro é melhorar a eficiência do transporte público, e o segundo, a eficiência individual de cada veículo.
Revista Época

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Projeto dispensa o registro de arma de fogo defeituosa

Tramita na Câmara o Projeto de Lei 918/11, do deputado Carlos Bezerra (PMDB-MT), que torna facultativo o registro de armas de fogo com absoluta impossibilidade de disparo. A medida valerá para as armas danificadas, antigas ou em outras circunstâncias que impeçam seu uso. Nesses casos, não haverá crime de posse irregular.

A proposta altera o Estatuto do Desarmamento (Lei 10.826/03), que hoje obriga todos os proprietários de armas a registrar os equipamentos no Comando do Exército.Carlos Bezerra discorda do registro obrigatório de arma que não pode disparar e da criminalização de sua posse. "Ter em casa uma arma nessas condições, que pode ser facilmente comprovada pela perícia, não ofende a paz e a tranquilidade social", afirma o deputado. Segundo ele, este projeto vai beneficiar colecionadores e pessoas que utilizam armas absolutamente incapazes de efetuar disparo como objeto de decoração e de preservação histórica. 

Tramitação O projeto será analisado pelas comissões de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado; e de Constituição e Justiça e de Cidadania. Em seguida, será votado pelo Plenário.
Agência Câmara

As 10 cidades mais resilientes do planeta


A atual edição da revista canadense Corporate Knights, que traz sempre artigos com um enfoque original sobre sustentabilidade corporativa, traz um artigo sobre as dez cidades mais resilientes do mundo. Entenda-se por cidade resiliente aquela empenhada em retornar a seu estado de equilíbrio ecológico após passar por intenso processo de urbanização.

Neste ranking, a cidade de Curitiba foi a única brasileira a aparecer. Pesou na escolha do empresário e escritor Boyd Cohen (que juntamente com um dos papas da sustentabilidade, Hunter Lovins, escreveu o livro “Climate Capitalism”) o fato dos governantes da cidade terem dado os primeiros passos na direção de uma urbanização verde há cerca de 40 anos.

Em Curitiba foi implementado o primeiro sistema de ônibus de transporte rápido do mundo, com ônibus biarticulados que circulam por corredores exclusivos e param em estações fixas, e os ligeirinhos, que também param apenas em pontos determinados.
Por ser antigo, porém, o sistema já começa a pedir uma atualização. Os biarticulados trafegam superlotados nos horários de pico, como em qualquer cidade. Os ligeirinhos utilizam as mesmas vias que os carros – ou seja, com o aumento de automóveis nas ruas, este tipo de transporte se torna mais lento. Ainda assim, o modelo curitibano serve de inspiração para cidades brasileiras que oferecem aos cidadãos somente o tradicional “busão”.

Para elencar as dez cidades mais resilientes do mundo, Cohen considerou aquelas com mais de 600 mil habitantes e adotou uma série de filtros: comprometimento político, densidade populacional, trânsito, uso de energias renováveis, emissões de CO², mitigação de efeitos climáticos, planos de adaptação e extensão territorial de parques. Abaixo, as campeãs:

1 – Copenhague, Dinamarca - 40% dos cidadãos vão para o trabalho de bicicleta. Foi a única cidade a obter a pontuação máxima no quesito “comprometimento político”. Juntamente com Curitiba, é a cidade com a menor emissão de CO² per capita.

2 – Curitiba, Brasil - Além dos atributos já mencionados, foi considerado também o plano de prevenção contra enchentes implementado na cidade na década de 70, por meio da criação de parques ao longo dos rios e canais do município.

3 – Barcelona, Espanha – Um percentual pequeno de energia renovável abastece a cidade, mas chama a atenção seu empenho em difundir o uso de energia solar. A administração municipal estabeleceu que todas as novas residências ou reformas devem incluir algum sistema de aquecimento solar – geralmente, para a água.

4 – Estocolmo, Suécia – A cidade se destacou pelo comprometimento político e pela quantidade de áreas verdes, mas ficou atrás de Paris quando avaliada a extensão da rede de transporte por trilhos per capita. Sua meta de redução de gases de efeito estufa é a segunda mais drástica.

5 – Vancouver, Canadá - A cidade teve a maior pontuação dentre todas as cidades norte-americanas. Assim como São Francisco, a São Francisco pretende reduzir suas emissões em 80% até 2050, em relação a 1990. Noventa por cento da energia da cidade provém de fonte renovável e há investimentos para que ela tenha seu próprio sistema distrital de energia.

6 – Paris, França - Além de ser signatária de uma série de pactos internacionais, Paris também obteve a maior pontuação na categoria “extensão de transporte por trilhos por habitante”. É uma das poucas cidades do estudo que tem um projeto de adaptação em curso: mais de 100 mil árvores foram plantadas e outras 20 mil recobrem os telhados da cidade.

7 – São Francisco, Estados Unidos – No ranking de Cohen, a cidade mantém a posição número 1 no país. O comprometimento político e a meta agressiva de, como Vancouver, reduzir em 80% suas emissões até 2050 (1990 como referência), angariaram pontos para a cidade. Ações para expandir o uso de energia solar também contaram.

8 – Nova York, Estados Unidos - O prefeito da cidade, Michael Bloomberg, tem sido um bom advogado da causa de tornar a cidade mais sustentável. Extensão da rede de transporte por trilhos (metrô) e das áreas de parques colocaram a metrópole entre as dez mais resilientes.

9 – Londres, Inglaterra- Uma série de medidas de adaptação na cidade fizeram com que ela fosse incluída na lista. A criação da “zona de congestionamento” na cidade, que diminuiu o trânsito de carros e aumentou o de transporte público e a implementação da segunda maior barreira móvel contra enchentes do mundo foram medidas valorizadas pelo especialista.

10 – Tokio, Japão - A única cidade asiática do ranking tem no seu plano de ação contra mudanças climáticas um de seus pontos fortes. Precisa investir mais em energias renováveis e áreas públicas verdes. Por outro lado, o forte apoio à iniciativa privada para a inovação em tecnologias limpas e mitigação de problemas relacionados ao clima a fez merecer estar no ranking.
Época

Pesquisador cria sistema anti-colisão que previne acidentes de trânsito

Segundo dados do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), a distração ao volante representa 8% dos acidentes de trânsito no Brasil. Para evitar as colisões laterais causadas por este motivo, foi desenvolvido na Escola Politécnica (Poli) um sistema de alerta anticolisão com o objetivo de avisar o motorista quando um veículo se aproxima pelo ponto-cego de seu veículo.

O sistema é fruto do mestrado do engenheiro Eduardo Bertoldi, que foi orientado pela professora Lucia Vilela Leite Filgueiras. O estudo Sistema anti-colisão de alerta ao motorista com o uso de estímulo auditivo e háptico levou três anos para ser concluído e utilizou games de corrida open-source (acesso aberto ao código-fonte) nas simulações e coletas de dados.
“Com o auxílio do jogo eletrônico medimos o tempo de reação média dos condutores. Percebemos que após a introdução do sistema de alertas o tempo de reação diminuiu, ou seja, os condutores reagiram mais rápido à possibilidade de acidente”, relata Bertoldi.

O sistema possui sensores instalados nas laterais do veículo e dois tipos diferentes de alarmes na parte interna do carro. De acordo com o engenheiro, os sensores laterais são capazes de identificar veículos a vinte metros de distância, em rota de colisão. Dessa forma, caso o sistema detecte uma situação de possibilidade de colisão, dois alarmes internos são acionados para estimular o motorista a evitar o choque: um bip com som tridimensional (3D) e um alerta vibratório situado no assento do motorista, próximo ao joelho.

Os alertas, situados em todo o interior do veículo, também diferenciam o lado da colisão e possui intensidades que variam de acordo com a iminência da batida. “Os alertas trabalham com sons graves e intensos e vibram em diferentes intensidades também. Tudo isso para que o motorista não precise processar muitas informações e possa reagir com a rapidez necessária para evitar o acidente ” descreve Bertoldi.

O pesquisador ressalta que o equipamento, de fácil instalação, pode ser acoplado ao sistema elétrico do carro e possui baixo custo. “O sistema funciona como um elemento opcional, que proporciona mais segurança para o motorista. É um aparelho muito próximo a um sensor de estacionamento e com um custo estimado inferior a R$100, 00, que pode ficar ainda mais barato com uma produção em grande escala”.

Testes e desenvolvimento
O desenvolvimento do sistema anticolisão foi dividido em duas etapas. A primeira contou com a participação de doze voluntários e avaliou o ambiente virtual de testes. Neste período, foram testados os estímulos visuais que o jogo virtual causava nos voluntários e suas reações típicas, na iminência do acidente.
“Verificamos que a reação mais comum aos motoristas é desviar bruscamente o volante quando estão próximos à colisão. Esta reação pode ser perigosa porque pode atingir veículos que se movimentam do outro lado”, diz o engenheiro.
Na segunda etapa de testes, foram medidas as reações aos alarmes. Com a participação de 23 pessoas, durante três dias de testes, o equipamento mostrou-se eficiente como alerta e obteve resultados satisfatórios no que diz respeito ao possível desconforto que poderia causar nos condutores e à incidência de ‘alarmes falsos’.

“Conseguimos evitar que os alarmes não assustassem ou causassem incômodo aos condutores e também reduzimos a incidência de erros do sistema”, afirma o pesquisador. Apesar de diminuir o número de colisões laterais causadas pelo ponto-cego ou pela distração dos motoristas, o protótipo ainda necessita de mais testes, com um número maior de pessoas, para ser otimizado e implementado no mercado.
Agência USP

Trânsito mata quatro vezes mais homens do que mulheres

Há dez anos o Brasil adere ao Dia Mundial sem Carro, movimento internacional que conclama a população a deixar os veículos em casa e refletir sobre comportamentos no trânsito e mobilidade urbana. Além do apelo para o uso de formas alternativas de transporte, o Ministério da Saúde alerta que apesar da redução de 2% das mortes no trânsito de 2009 em relação ao ano anterior, o número de mortes ainda preocupa.

De acordo com dados do Sistema de Informação de Mortalidade (SIM), 37.594 brasileiros foram vítimas fatais no trânsito do país em 2009, com 679 mortes a menos que em 2008, quando foram registrados 38.273 óbitos. O levantamento do Ministério da Saúde aponta, ainda, que o número de homens que morrem no trânsito é quatro vezes maior do que o de mulheres. Em 2009, 30.631 homens (81,4%) e 6.496 mulheres (18,4%) perderam a vida no trânsito.

As principais vítimas são jovens de 20 a 39 anos, faixa etária de 45,5% (17.128) do total de óbitos em 2009. Desses, 86% (14.776) eram homens. “O homem é mais vulnerável porque está mais exposto, tanto pelo comportamento, em muitas situações, mais agressivo ao dirigir, quanto pela associação com fatores de risco, como o excesso de velocidade e associação entre álcool e direção”, analisa Marta Silva, coordenadora de Vigilância e Prevenção de Violências e Acidentes do Ministério da Saúde. Dados da pesquisa Vigitel 2010, sobre indicadores de saúde do brasileiro, mostram que 3,0% dos homens entrevistados afirmaram ter dirigido após o consumo abusivo de bebida alcoólica, enquanto entre as mulheres esse percentual foi de 0,2%.

Marta acrescenta que, aliado ao consumo de bebidas alcoólicas e à alta velocidade, soma-se o aumento da frota, especialmente de motocicletas, meio de transporte utilizado por 9.268 dos 37.594 mil brasileiros que perderam a vida no trânsito em 2009, o que equivale a 24,6% do total de óbitos naquele ano.
Comparando 2009 com 2008 houve um aumento de 4% na mortalidade envolvendo motociclistas. No ano anterior, foram 8.898 vítimas. O Brasil registra uma frota motorizada de 66.116.077 de veículos, dos quais 57% são automóveis. As motos, motonetas e ciclomotores representam 26% da frota nacional, segundo dados do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), de março de 2011. Entre pedestres houve redução de 7% comparando os anos de 2008 com 2009.

No mundo
No cenário mundial, o Brasil ocupa o quinto lugar entre os recordistas em mortes no trânsito, atrás da Índia, China, Estados Unidos e Rússia segundo o Informe Mundial sobre a Situação de Segurança no Trânsito, publicado em 2009. A estimativa da OMS é que, em todo o mundo, cerca de 1,3 milhões de pessoas perdem suas vidas anualmente no trânsito e cerca de 50 milhões sobrevivem feridas. O custo global é estimado em US$ 518 bilhões por ano; os custos dos acidentes de trânsito já foram estimados em 1% a 2% dos PIB dos países.
Jornal do Brasil

Caminhão tomba na BR-101, espalha placas de MDF e bloqueia a rodovia na Grande Florianópolis

Um caminhão que carregava placas de MDF tombou no sentido Sul da BR-101, em Biguaçu, próximo a Governador Celso Ramos, na Grande Florianópolis. O acidente ocorreu por volta de 10h no Km 175 da rodovia.


A queda do caminhão provocou a interdição da pista. Devido ao bloqueio, há congestionamento no local, e o trânsito flui pelo acostamento.

Equipes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e da concessionária Autopista Litoral Sul devem fazer a retirada do veículo na tarde desta sexta. A concessionária orienta os motoristas para redobrarem a atenção e reduzirem a velocidade, devido às pistas molhadas.DIÁRIO CATARINENSE

Chineses decidem suspender investimento em fábrica de automóveis no Brasil


montadora
A Jac Motors desistiu de construir uma montadora de automóveis no Brasil

A marca chinesa de veículos JAC Motors decidiu suspender os planos de instalação de fábrica no Brasil enquanto o governo não rever a medida que elevou por um ano o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). Segundo a assessoria de imprensa da companhia, o empresário brasileiro Sergio Habib, responsável pela JAC no Brasil, decidiu suspender a instalação da fábrica de R$ 900 milhões enquanto não conseguir um entendimento com o governo para a revisão da medida imposta para frear a importação de veículos.
Após reunião com entidade que representa importadores, Abeiva, e o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, na tarde de quinta-feira, Habib afirmou que tem confiança de que vai conseguir um acordo com o governo. Por isso, a JAC segue com o plano de pelo menos escolher o local de sua fábrica no Brasil até o final do ano, informou a assessoria da montadora. O anúncio do empresário ocorreu depois que a também chinesa Chery, que está construindo uma fábrica em São Paulo, obteve liminar que prorroga para dezembro a cobrança da alta de 30 pontos percentuais do IPI imposta pelo governo na semana passada .

“Para se enquadrar na legislação e não ter IPI maior, tem que ter conteúdo local de 65 por cento. Qualquer fábrica do mundo não consegue atingir isso no primeiro ano, tem que desenvolver fornecedores”, informou a assessoria de imprensa da JAC, citando Habib.
A JAC anunciou em agosto que começaria a construir uma fábrica com capacidade para 100 mil veículos no Brasil em 2012, com expectativa de conclusão em 2014.
“Não faz sentido investir R$ 900 milhões e assim que começar a fabricar nossos carros, continuarmos pagando IPI equivalente a de carro importado porque não atingimos os 65% (de nacionalização)”, afirmou a assessoria. “Se for para fazer todo este esforço e pagar o mesmo IPI que pagamos hoje, preferimos continuar importando”, acrescentou.

Novo mercado
Na outra ponta da cadeia produtiva, o McLaren Group, que gerencia a escuderia de Fórmula 1 e recentemente entrou no mercado de carros esportivos de luxo, informou nesta sexta-feira que planeja realizar uma oferta pública inicial de ações (IPO, em inglês) no prazo de cinco anos e que considera todos os mercados para isso, inclusive Cingapura. O presidente-executivo da empresa, Ron Dennis, disse a jornalistas que a companhia está no caminho para mais que dobrar a produção, para 4 mil veículos anuais, buscando atender a demanda por automóveis de luxo, principalmente na Ásia.

– Em cinco anos, vamos analisar todos os mercados – disse Dennis, em visita para lançar um modelo no país e acompanhar o Grande de Prêmio de Cingapura.
No início desta ano, a McLaren lançou o esportivo MP4-12C, que tem dois lugares e compete com os modelos 458 Italia (Ferrari) e Gallardo (Lamborghini), e custa cerca de 168,5 mil libras no Reino Unido (US$ 260 mil).
Correio do Brasil

Ministério retoma contagem de veículos

O Ministério dos Transportes começa hoje (23) a segunda etapa da Pesquisa Nacional de Tráfego, que vai levantar quantos e como são os veículos que circulam pelas rodovias federais do país. Em parceria com o Exército, serão instalados 120 postos de contagem para avaliar 48 rodovias federais em 23 estados.


Durante uma semana, 24 horas por dia, todos os veículos que passarem pelos postos serão contabilizados e classificados. Alguns motoristas serão abordados para responder a uma pesquisa para identificação de origem, destino e informações socioeconômicas. A coleta de dados deverá fornecer informações para a versão 2011 do Plano Nacional de Logística e Transportes, que servirá para direcionar futuros investimentos no setor.

Na primeira fase da pesquisa, em maio, o governo registrou 1,6 milhão de passagens em 22 postos de coleta, a maioria (53,3%) feita por carros de passeio. As viagens de caminhões, incluindo os sem carroceria, somaram 38,4%. Os ônibus representam 2,8% do total do tráfego das rodovias federais, e as motos, 5,5%.

Os primeiros dados do levantamento revelam que a frota que circula pelas rodovias do país tem, em média, 6,8 anos de uso. Na categoria de veículos de carga, a média é maior, 8,9 anos.

Uma terceira etapa da pesquisa está programada para novembro. De acordo com Ministério dos Transportes, a divisão do levantamento em três períodos é feita em função da sazonalidade do escoamento de cargas, ligada às safras agrícolas.
Agência Brasil




Kawasaki anuncia recall de motos

A Kawasaki Motores do Brasil abril campanha de recall de três de seus modelo. A empresa convoca os proprietários das motocicletas ER-6n, ER-6n ABS e NINJA 650R, chassis abaixo identificados, a comparecerem a partir de 21 a uma concessionária da marca para inspeção do torque do parafuso de fixação do caliper do freio traseiro e, se necessário, a substituição dos parafusos.


O Procon-SP explicou que a empresa, em comunicado ao órgão protetor do consumidor, informou que o defeito pode acarretar afrouxamento dos citados parafusos, com consequente perda de eficiência do freio traseiro, dificultando o controle do veículo, elevando assim o risco de acidentes.

Segundo Procon-SP, não existe prazo limite para o atendimento à campanha de recall. Portanto, se o consumidor tiver problemas quanto ao reparo ou a substituição da peça, deve procurar um órgão de defesa do consumidor.

Os chassis dos três modelos são: para o ER-6n, chassi entre 96PERCC1 BFS00001 e 96PERCC1 BFS00068; para o ER-6n com ABS, chassi entre 96PERCD1 BFS00001 e 96PERCD1 BFS00050; e para a moto NINJA 650R, chassi entre 96PERCC1 BFS00210 e 96PERCC1 BFS00372.

A Kawasaki atende os consumidores pelo telefone 0800 7731210 e no site kawasakibrasil.com há mais informações.

Procon autua importadora de motos Ducati por problema em recall

A Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor de São Paulo (Procon-SP) informou hoje que autuará a HDSP Comércio de Veículos, importadora oficial das motocicletas da marca Ducati no Brasil. O motivo é a não realização de campanha de recall das motocicletas modelos Diavel e MultiStrada 1200, fabricadas em 2010 e 2011.

Segundo o Procon, as campanhas foram divulgadas em janeiro, abril e junho no site norte-americano NHTSA (National Highway Traffic Safety Administration) e no Brasil, em agosto, apenas no site da Ducati. O Código de Defesa do Consumidor e a portaria 789/2001 do Ministério da Justiça, no entanto, determinam que a campanha seja realizada na imprensa escrita, além ser veiculada em rádio e televisão.

O processo administrativo está sendo instaurado depois de a empresa ter sido notificada duas vezes pelo Procon-SP para regularizar a campanha. Os modelos para recall são das linhas Diavel, Diavel Carbon e Multistrada. Procurada, a HDSP não se pronunciou sobre o assunto até a publicação do texto. 
Valor Online

Passeio Ciclístico encerra Semana Nacional do Trânsito


Passeio Ciclístico encerra Semana Nacional do Trânsito
Com o tema “Não atrapalhamos o trânsito, somo o trânsito”, a prefeitura de Tubarão, por meio da secretaria de Segurança e Patrimônio em parceria com a Associação Ciclística Tubaronense (ACT), realiza neste sábado (24), um passeio ciclístico aberto a todas as idades.
O evento vai encerrar a programação da Semana Nacional do Trânsito e será o primeiro promovido pela ACT. 
A concentração acontece a partir das 13h30, no pátio do Centro Municipal de Cultura (CMC) e a saída está prevista para as 15 horas.
Para participar, basta fazer a inscrição individual ou por equipe no CCAA, Giba Cicle, e escolas participantes até quinta-feira (22), mediante a doação de um quilo de alimento não perecível. As inscrições podem ser efetuadas também no dia do evento, das 13h30 às 14h30.
Além de se divertir com toda a família, os participantes concorrerão ao sorteio de uma bicicleta e diversos brindes.
Haverá ainda premiação por equipe para os primeiros colocados nos quesitos maior número de participantes, vestimenta, criatividade e mensagem sobre o tema. Na categoria individual será premiada a melhor caracterização pessoal e a bicicleta mais caracterizada, mensagem sobre o tema, participante com a menor e com a maior idade.
O passeio passará pelas principais ruas da cidade e deve ser encerrado por volta das 16 horas.

Clique no link abaixo e confira a programação completa.
Decom/Tubarão

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Índice de emissão de CO² em carros é oito vezes maior que em ônibus

A emissão de dióxido de carbono (CO²) por passageiro é quase oito vezes maior em automóveis leves do que em ônibus e 36 vezes superior aos índices registrados em metrôs, informa a publicação “Poluição Veicular Atmosférica”, divulgada há pouco pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).
Diante desse resultado, a pesquisa constata, no Dia Mundial sem Carro, sem surpresa, que o controle da emissão dos gases causadores do efeito estufa depende de “estimular o uso do transporte público coletivo nos deslocamentos cotidianos da população”.

O levantamento do Ipea dividiu os poluentes em dois tipos: locais, quando o impacto maior é no entorno da emissão; e globais, quando os gases atingem a atmosfera e impactam todo o planeta. O índice de emissão de poluentes locais (fuligem, monóxido de carbono, óxido de enxofre) vem se reduzindo desde 1990 e, segundo o Ipea, deve continuar recuando até 2020. Esse fenômeno é resultado de “políticas de controle veicular”, que incentivaram aumento e eficiência dos motores de carros e motos.

Entretanto, a pesquisa mostra que a emissão de poluentes globais, especialmente gases de efeito estufa, como o CO², não recuou, já que tem havido forte crescimento da quantidade de veículos nas ruas das cidades brasileiras. O Ipea conclui que “dificilmente” a indústria conseguirá aumentar a eficiência dos motores ainda mais e, portanto, “o cenário de inversão da queda de emissões totais dos poluentes locais torna-se bastante provável face ao aumento da frota e dos congestionamentos urbanos”.

Nos últimos 15 anos, segundo o estudo, a frota de automóveis cresceu 7% ao ano; a de motocicletas, 15%; e a demanda por transporte público recuou cerca de 30% no período. A mudança é, segundo o Ipea, reflexo de políticas do governo para incentivar o mercado automotivo.
 Globo.com

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Semana do Trânsito 2011 - Blitz educativa com a Guarda Municipal na Av.Marcolino Martins Cabral em Tubarão

h62m.jpg

Trânsito interrompido para detonação de rochas na BR101 em Palhoça




A BR-101/SC Sul terá o tráfego interrompido nesta quarta-feira, dia 21, das 12 horas às 14 horas, no Km 235, no Morro dos Cavalos, próximo à Ponte do Rio Massiambu, em Palhoça/SC.
O bloqueio é necessário para o desmonte de rochas com detonação de explosivos para a continuidade das obras de duplicação da rodovia. No local, está em execução o acesso à cabeceira Norte da nova ponte sobre o Rio Massiambu, com detonações programadas semanalmente de segunda à quinta e sábado das 12 horas às 14 horas.
A Polícia Rodoviária Federal fará o monitoramento do tráfego no local.
Em caso de mau tempo, o bloqueio será cancelado.

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Ações de conscientização marcam a terça-feira na Semana Nacional do Trânsito

Ações de conscientização marcam a terça-feira na Semana Nacional do Trânsito
A programação da Semana Nacional do Trânsito, realizada em Tubarão pela secretaria municipal de Segurança e Patrimônio em parceria com diversas entidades, prossegue nesta terça-feira (20), com diversas atividades. 
 
Na praça Pery Camisão, ao lado da Casa da Cidade, das 9 às 17 horas, a Polícia Militar em parceria com o Programa Paz na Linha – Ferrovia Tereza Cristina, realiza a Escolinha de Trânsito, com alunos das escolas públicas e particulares de Tubarão.  



Às 20 horas, uma palestra sobre o uso do Gás Natural Veícular (GNV) será realizada na Associação dos Ferroviários.

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Trânsito na BR-101 em Capivari de Baixo deve ser desviado esta semana



A Prefeitura Municipal de Capivari de Baixo prossegue acompanhando diariamente a evolução das obras no Lote 25, próximo ao trevo de acesso a Capivari de Baixo. As visitas foram determinadas pelo Prefeito Municipal, Luiz Carlos Brunel Alves, que idealizou um protesto irônico há uma semana, às margens da BR-101.  


Na manhã desta segunda-feira (19), cerca de 25 funcionários trabalhavam no local. De uma semana pra cá, novas máquinas foram trazidas até o local dos trabalhos, uma nova camada asfáltica foi instalada na via lateral da BR 101 (Trecho sul/norte), mas ainda resta mais uma camada a ser implantada antes do desvio dos veículos que trafegam pela rodovia. De acordo com informações de um funcionário da SETEP, a implantação de uma nova camada e o desvio dos veículos, devem ocorrer até a próxima sexta-feira (23), se o tempo colaborar. 


“Quero acreditar que o trânsito será desviado até o final desta semana para a via lateral, para, finalmente, começarem a trabalhar na via principal. O fim de semana, mais uma vez, foi de caos neste trecho, com engarrafamentos quilométricos. Não vejo à hora de começarem a construção do viaduto”, ressaltou, empolgado com a evolução das obras.

Decom/Capivari de Baixo

Proposta obriga montadora a oferecer veículo adaptado a pessoas com deficiência


A Câmara analisa o Projeto de Lei 1042/11, do deputado Dr. Ubiali (PSB-SP), que obriga as montadoras de veículos a oferecer modelos já adaptados às pessoas com deficiência, que têm direito a comprar o automóvel com isenção de tributos. Pela proposta, a montadora será obrigada a produzir, no mínimo, três veículos adaptados de cada modelo por mil fabricados.
A proposta limita o incremento no preço do veículo adaptado a 10% do valor do modelo convencional equivalente. A montadora que descumprir a determinação será multada em 20% do valor do veículo sem as alterações.
O autor da proposta destaca que, com as isenções fiscais de IPI e ICMS a que têm direito, as pessoas portadoras de deficiência física têm acesso a veículos novos com um decréscimo de cerca de 25% no preço.
Por outro lado, acrescenta o parlamentar, “elas precisam arcar com o custo da adaptação de seus veículos, realizada, em geral, por empresas especializadas nesse tipo de serviço”.
Disparidade
O autor da proposta argumenta que atualmente há uma disparidade no serviço de adaptação oferecido. Enquanto algumas montadoras contratam empresas homologadas para efetuar as transformações e profissionais treinados para o atendimento, outras contam apenas com a estrutura de vendas, mas não se responsabilizam pela alteração realizada.
Há ainda empresas que se negam a adaptar modelos populares de veículos por conta do custo de adaptação. “O que se busca, com este projeto de lei, é uma maior democratização de acesso aos veículos novos pelas pessoas portadoras de deficiência em condições justas de garantia e preços”, observa o deputado.
Tramitação
A proposta terá análise conclusiva das comissões de Seguridade Social e Família; de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.
Câmara dos Deputados

STF vai decidir se guardas municipais podem aplicar multas de trânsito



O Supremo Tribunal Federal vai decidir, de uma vez por todas, se guardas municipais têm competência para aplicar multas de trânsito. A controvérsia foi reconhecida como de “repercussão geral” pelo plenário virtual do STF, por proposta do ministro Marco Aurélio, relator de um recurso extraordinário do Município do Rio de Janeiro contra decisão do Tribunal de Justiça estadual, que decidiu não ser atribuição das guardas municipais a fiscalização do trânsito, mas tão somente a “proteção” dos “bens, serviços e instalações” dos municípios (Artigo 144 da Constituição Federal, parágrafo 8º).

Ao entender que o tema “está a merecer o crivo do Supremo”, Marco Aurélio afirmou: “Está-se diante de controvérsia a envolver a Constituição Federal, cumprindo ao Supremo definir o alcance que lhe é próprio. Vale notar a circunstância de a atuação da guarda municipal no trânsito extravasar os interesses do Município do Rio de Janeiro, alcançando tantos outros que a mantêm na atividade”.

No recurso extraordinário ao STF, ajuizado em março último, a Prefeitura do Rio de Janeiro sustenta que a segurança e a fiscalização do trânsito incluem-se no chamado “interesse local”, previsto no artigo 30, inciso 1 da Constituição. Conforme tal dispositivo, “compete aos municípios legislar sobre assuntos de interesse local”.
A advogada do Rio de Janeiro, Marcia Vieira Marx Andrade, também dá ênfase à importância do pronunciamento do STF sobre a questão nos âmbitos social, político e jurídico, “haja vista estar em jogo a autonomia municipal e a possibilidade de desautorizar-se a polícia de trânsito local e, com isso, permitir-se a impunidade de um sem-número de motoristas”.
Jornal do Brasil

22 de setembro - Dia Mundial sem Carro



No dia 22 de setembro é comemorado, anualmente, o dia Mundial sem carro (Car Free Day). Criado em 1997 e primeiramente organizado em cidades europeias, o movimento cresceu e ganha novos adeptos a cada ano. Como é uma iniciativa descentralizada, é difícil contar quantas cidades participam, mas o alcance do movimento é grande.

A ideia é chamar a atenção dos cidadãos - especialmente daqueles que não se separam de seus carros particulares - sobre outros meios de transportes, que podem ser tão ou mais eficazes que os automóveis. Para isso, o instrumento mais comum é o desafio intermodal: diversos meios de transportes 'competem' para saber qual deles realiza um determinado trajeto em horário de pico em menos tempo e com menos interferência ambiental. O desafio acontece há anos nas principais capitais brasileiras. Quase sempre o modal vencedor é a bicicleta.

domingo, 18 de setembro de 2011

Jovem é flagrado pela Guarda Municipal com torrões de maconha

Dois jovens foram conduzidos com entorpecentes à Central de Plantão Policial de Criciúma na noite deste sábado. Por volta das 20h30min, a Guarda Municipal (GM) estava em rondas ao lado do Teatro Municipal, no Bairro Santa Bárbara, quando sentiram um forte odor de maconha.

Os guardas foram averiguar e flagraram J.S.P., 23 anos e J.L.S.P., 20 anos, com o entorpecente. Realizada revista pessoal em J.S.P. foram localizados nove torrões e farelos de maconha. Também foram apreendidos aproximadamente R$ 6 e papel seda utilizado para consumir a droga.

Esta é a segunda detenção realizada pela Guarda Municipal nas proximidades da Prefeitura no sábado. Durante a tarde, J.C.F., 18 anos, foi flagrado com um revólver calibre 32 com seis munições.
Atribuna

Blitz educativa com a Guarda Municipal de Tubarão - Semana Nacional do Trânsito

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Comissão aprova liberação de multa por velocidade para ambulância e viatura policial


A Comissão de Viação e Transportes aprovou na quarta-feira (14) o Projeto de Lei 5065/09, do deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ), que exclui das penalidades por excesso de velocidade os condutores de veículos de socorro de incêndio e salvamento, de polícia, de fiscalização de trânsito, de ambulâncias e dos precedidos por batedores, quando estiverem em serviço de urgência.
A proposta altera o Código de Trânsito Brasileiro (Lei9.503/97), que não abre exceção para esses motoristas.
Segundo o relator na comissão, deputado Hugo Leal (PSC-RJ), a alteração evitará o transtorno dos condutores desses veículos serem autuados e precisarem entrar com recurso. “Em serviço de urgência, esses veículos gozam de livre circulação e, portanto, não estão sujeitos à aplicação das penalidades previstas”, afirmou.
Tramitação
O projeto tramita em caráter conclusivo e ainda será analisado pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.
Câmara dos Deputados